Dicas sobre comercialização de produtos agrícolas

  O mercado de produtos agrícolas também se alia aos conceitos de marketing

Para alguns cientistas, a comercialização agrícola é uma atividade específica, em que aspectos políticos e sociais são inerentes a ela. Trata dos negócios (o que produtores, processadores, intermediários e consumidores devem fazer), da política (apoio logístico, estradas e infraestrutura geral) e do aspecto social (abastecimento, segurança nacional e desenvolvimento).

Não obstante, no que diz respeito à comercialização de produtos agrícolas, tem havido cada vez mais a preocupação de redefini-la nos termos da filosofia de comercialização-marketing ou, como usualmente divulgado, pelo termo de “marketing rural” ou “marketing de produtos agrícolas”.

Desse modo, é oportuno reagrupar as tradicionais “funções de comercialização”, seguindo um enfoque de merchandising ou de marketing. Elas são atividades desempenhadas por diferentes agentes, porém, descritas como um processo mecânico, através do qual os bens passam do produtor ao consumidor, com ênfase nas relações entre as diferentes agências de comercialização.

Tal análise é inadequada para o propósito de explicar a comercialização nos seus aspectos mais abrangentes e na definição de seu lugar na estrutura social. Para atender a esse último objetivo, é necessário definir as funções e os propósitos da sociedade e focalizar a atenção nas relações do sistema de comercialização com o meio ambiente na qual ela opera.

Se os desejos das pessoas, em relação aos itens específicos de bens, são criados por fatores ambientais e os bens não podem ser produzidos em condições de produção em massa para atender a todas às diferentes especificações dos consumidores, então torna-se tarefa principal da comercialização reconciliar os desejos dos consumidores potenciais com os produtos reais que os empresários acham viável oferecer.

Isso significa, por um lado, que bens devem ser encontrados ou criados para o mais próximo possível, atender às expectativas do mercado, em natureza, qualidade e preço. Além disso, esses bens devem ser apresentados no tempo próprio e sob condições atraentes. Por outro lado, significa que os compradores potenciais devem ser condicionados a aceitar os bens com o melhor comprometimento possível entre o que eles pensam e o que eles podem obter.

Diante desse ponto de vista, a comercialização agrícola ou marketing de produtos agrícolas pode ser dividida em diferentes grupos de funções, cada uma contribuindo para o propósito geral apontado anteriormente.

Veja alguns deles:

Função contatual: Engloba as funções de compra e venda. Envolve o processo de achar o mercado e de descobrir compradores e vendedores potenciais de um produto e fazer contato com eles. As perguntas feitas são as seguintes: Quem são os compradores ou vendedores potenciais? Onde eles estão localizados? Como podem ser alcançados? Inclui a determinação dos melhores meios para alcançar os compradores, como, por exemplo, a avaliação do melhor canal de comercialização e dos meios de comunicação?

Função de propaganda (informação de mercado): É responsável pela criação de demanda ou condicionamento de compradores e vendedores a uma atitude favorável em relação ao produto ou ao seu responsável. Inclui métodos usados pelos vendedores e pelos compradores para influenciar compradores e vendedores, respectivamente. Normalmente, não tem sentido numa economia de baixo consumo e de produtos agrícolas básicos, mais cresce em importância na comercialização de vários produtos que permitem maior agregação de valor. Entretanto, na maioria das vezes, a função da propaganda, no caso mais específico de produtos agrícolas, exerce maior papel de informação de mercado do que de publicidade ou influência para consumo.

No Curso Comercialização Agrícola, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, você encontrará, resumidamente, cada função ou grupo de funções, como: Função mercadológica; Função de estabelecimento de preço; Função de terminação, entre muitas outras, confira!

Aprenda também a fazer o planejamento estratégico de sua propriedade rural.

Equipe de Redação 20-12-2011 Administração Rural

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.