Fosso do biodigestor tem sua dimensão definida em função das medidas da câmara

Ao mesmo tempo em que a parede cilíndrica vai sendo levantada, a parede divisória também já vai sendo construída

Curso de Construção e Operação de Biodigestores

Para se construir um biodigestor, antes de tudo, deve-se decidir o modelo e as dimensões a serem implantadas. Depois disso, vem a escolha do lugar onde ele será construído. O ideal é procurar um local onde haja desnível suficiente para realizar a retirada do material fermentado por gravidade e, desse modo, produzir a um custo mais baixo. Porém, se isso não for possível, o material pode ser extraído manualmente ou com a ajuda de uma bomba.

Logo no primeiro dia de construções, é possível finalizar a abertura do fosso e a construção da base. O fosso deve ter sua dimensão estabelecida em função das medidas da câmara de biodigestão. Para marcar a base, um gabarito pode ser de grande ajuda. Como o nivelamento é bem criterioso, assim que a marcação for obtida, piquetes devem ser cravados, do lado de fora e bem rente a ela, na mesma altura que a base de concreto terá. Feito isso, pode-se passar para a marcação do pilar central e a construção da parede da câmara de biodigestão.

A parede poderá ser inicializada já no dia seguinte e, para isso, será necessário construir um gabarito igual àquele utilizado para fazer a marcação da base circular. O professor Jorge de Lucas Júnior, coordenador técnico do curso Construção e Operação de Biodigestores, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, acrescenta que “a construção da parede cilíndrica deverá ser feita com tijolinhos cerâmicos, de aproximadamente 20 cm de comprimento, e assentados em argamassa feita com uma parte de cimento e três de areia. Os tijolos deverão ser assentados intercalados, para obter um bom travamento das paredes.”

Ao mesmo tempo em que a parede cilíndrica vai sendo levantada, a parede divisória também já vai sendo construída. A cada 70 cm de parede construída, recomenda-se fazer o seu acabamento interno, para, em seguida, fazer o aterro ao redor da mesma, possibilitando a sua continuidade. Dessa forma, o aterro vai subindo juntamente com a parede e, ao final, a câmara de biodigestão e o aterro do buraco estarão terminados juntos.

http://www.youtube.com/watch?v=riQNfW_pfF4 ?

Marconi Vieira 03-01-2011 Energia Alternativa

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.