Febre aftosa – já começou a campanha de vacinação

Febre aftosa – já começou a campanha de vacinação. É importante ressaltar que a vacinação já começou em maio (primeira etapa da vacinação) e todo pecuarista deve vacinar seu rebanho.

É importante ressaltar que a vacinação já começou em maio (primeira etapa da vacinação) e todo pecuarista deve vacinar seu rebanho

Febre aftosa – já começou a campanha de vacinação

O grande vilão transmissor da febre aftosa é o Aphthovirus, que possui alto grau de contágio. A transmissão ocorre por meio do contato direto com bovídeos infectados, ou ainda equipamentos, utensílios, veículos, roupas e sapatos contaminados com o vírus. Este pode ser transmitido no período de incubação ou assim que a doença se manifesta. Após quatro dias da contaminação, já aparecem os primeiros sintomas da febre aftosa.

Inicialmente, o animal infectado perde o apetite – devido ao surgimento de aftas, que o impedem de se alimentar. Como consequência, o bovino fica prostrado, fraco e debilitado. Além disso, o animal pode apresentar quadros de febre alta e redução do leite (no caso de vaca lactante).

Como medida de proteção e para garantir que todas as regiões estejam livres da doença, são realizados o controle e a vigilância do transporte de bovinos entre fronteiras. Todos os animais que estiverem infectados ou suscetíveis à grave doença devem ser sacrificados. Além disso, os equipamentos e materiais contaminados devem ser limpos e desinfetados, assim como o criatório.

Entretanto, a medida mais eficaz para impedir o surto de febre aftosa é a vacina com vírus inativo. É importante ressaltar que a vacinação já começou em maio (primeira etapa da vacinação) e todo pecuarista deve vacinar seu rebanho. Em novembro, ocorre a segunda etapa da vacinação – igualmente importante e obrigatória. A não vacinação dos bovinos ou bubalinos gera multa ao proprietário dos animais.

O pecuarista que tiver realizado a vacinação do rebanho deve se encaminhar ao IMA regional. No local, devem ser apresentadas a nota fiscal da compra da vacina, além da Carta de Declaração de Vacinação. Esta deve ser criteriosamente preenchida determinando o total de animais da propriedade, que foram vacinados. Apenas empresas cadastradas pela Coordenadoria de Defesa Agropecuária estão autorizadas de vender a vacina contra febre aftosa.

O acondicionamento das vacinas deve ser realizado em ambientes refrigerados. Com isso, sua eficiência e qualidade são asseguradas. De acordo com Jackson Victor de Araújo, professor do Curso a Distância CPT Prevenção e Controle de Doenças em Bovinos - Verminose, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online, as vacinas devem ser acondicionadas, em temperatura entre 2 e 8 °C, até a sua utilização.

Por Andréa Oliveira.

Fontes: G1, IMA e Canal Rural.

Andréa Oliveira 15-05-2017 Pecuária

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.