Repelente natural combate lagarta do maracujá

Repelente natural combate lagarta do maracujá. Entre os meses de abril e agosto, período de estiagem, os produtores de maracujá devem redobrar os cuidados, pois a incidência dessa praga é maior.

Repelente natural à base de cebola, suco extraído da mandioca ou óleo de nim ajuda no combate à lagarta do maracujá

Repelente natural combate lagarta do maracujá"No Brasil, o maracujazeiro, planta de origem tropical, encontra condições excelentes para cultivo. Ele suporta condições climáticas adversas, com boa produtividade. Em contrapartida, o pomar de maracujás pode sofrer o ataque de lagartas, como a Dione juno juno", afirma Waldir Vicente dos Santos, professor do Curso a Distância CPT Produção de Maracujá, em Livro+DVD e Online, da Área Fruticultura.

A Dione juno juno alcança 1,5 mm de comprimento na fase inicial. Trata-se de uma lagarta com espinhos no corpo e cor amarelo-escura. Quando mais desenvolvida, chega a 35 mm de comprimento e sua cor escurece mais. Além de reduzir a área foliar do maracujazeiro, a lagarta inibe o desenvolvimento da planta, o que prejudica a produção de maracujás. A praga pode levar as plantas mais jovens à morte causando sua desfolha total.

Entre os meses de abril e agosto, período de estiagem, os produtores de maracujá devem redobrar os cuidados, pois a incidência da lagarta do maracujá é maior. Em casos mais graves, em pomares maiores, o controle químico é recomendado. Geralmente, são utilizados produtos à base de clorfenapir e cloridrato de cartape. A dosagem, o modo de aplicação e o período de carência devem ser prescritos por engenheiro agrônomo.

Alguns produtores preferem o controle biológico, com inseticida à base de Bacillus thuringiensis. Nesse caso, as aplicações devem ser realizadas semanalmente, de 300 a 600 1itros por hectare de calda. Em pomares menores, o ideal é utilizar repelentes naturais, preparados com 1 quilo de cebola em 10 litros de água. A mistura deve descansar por dez dias antes da aplicação nos maracujazeiros. A proporção deve ser 1 litro da solução para 3 litros de água em aplicações semanais.

Além desse repelente natural, o "leite" extraído da mandioca (manipueira) é uma outra opção bastante eficiente no controle da lagarta. Basta misturar uma parte do suco leitoso a uma parte de água, mais 1% de açúcar. As aplicações devem ser realizadas a cada 14 dias. O óleo de Nim, vendido em casas de produtos naturais, também é um excelente agente de combate à lagarta do maracujá, principalmente em produções caseiras.

Fonte: Globo Rural.

Confira o artigo "Por que podar o maracujazeiro?" e aprimore ainda mais o seu conhecimento.

Andréa Oliveira 23-01-2018 Fruticultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.