Florais: como preparar

O tratamento floral deve ser de uso livre. As plantas a serem utilizadas devem ser de elevada vibração magnética, contendo apenas vibrações benéficas. Devem ser sadias e vigorosas e não podem estar afetadas por doenças ou ter parasitas. As plantas contendo substâncias venenosas devem ser evitadas.

 Os florais devem ser preparados com a água neutra e saudável das nascentes ou poços, ou mesmo água mineral sem gás

  Em qualquer método de preparo colhem-se somente as flores perfeitas e completamente desabrochadas

O tratamento floral deve ser de uso livre. As plantas a serem utilizadas devem ser de elevada vibração magnética, contendo apenas vibrações benéficas. Devem ser sadias e vigorosas e não podem estar afetadas por doenças ou ter parasitas. As plantas contendo substâncias venenosas devem ser evitadas. Considerando essas recomendações, deve-se colher as flores em locais harmoniosos, por exemplo, plantas produzidas com uso de agrotóxicos ou que fiquem próximas a lavouras que sejam tratadas com esses produtos.

Olinto José de Oliveira Neto, coordenador do Curso de Florais - Preparo e Utilização, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas, considera que a poluição ambiental, a chuva ácida, ou problemas semelhantes, não afetam as flores, pois, na terapia floral, não se usa o corpo, nem a matéria, mas apenas a informação energética da planta.

Qualidade da água a ser utilizada

A extração da essência da flor para ser utilizada como remédio é feita em água. Recomenda-se que se use água de fonte. Os florais devem ser preparados com a água neutra e saudável das nascentes ou poços, ou mesmo água mineral sem gás. Água de fontes curativas não são recomendadas, em virtude da sua forte vibração natural. Também não é indicado o uso de água esterilizada, desmineralizada ou destilada.

Métodos de preparo da essência floral

Em qualquer um dos métodos, colhem-se somente as flores perfeitas e completamente desabrochadas. Elas devem ser cortadas diretamente dentro de uma vasilha de vidro com água.

Método solar: a colheita é feita só em dias bem ensolarados, sem nuvens no céu, de manhã. O método solar é usado para plantas nitidamente solares, que se abrem durante o dia. Coloque água mineral ou de poço numa vasilha de vidro transparente. Colha as flores fazendo com que caiam diretamente na água, sem contato com as mãos. Depois de cobrir toda a superfície da água com as flores, o vasilhame deve ser colocado em um local bem ensolarado, próximo à planta de onde foram retiradas. Essas flores devem ficar sob o sol durante três a quatro horas, para que sua essência passe para a água. Nos dias em que o sol estiver mais fraco, as flores devem ficar expostas o dia todo.

Método da fervura: o método da fervura é indicado para as flores que ficam voltadas para baixo, procurando o calor da terra e, também, aquelas que possuem aspecto lenhoso. Recomenda-se usar panela de vidro ou esmaltada, onde se coloca a água. Num dia ensolarado e sem nuvens no céu, antes das 9 horas da manhã, colhem-se as flores, juntamente com algumas folhas, brotos, galhos tenros e gavinhas (se tiver). Logo a seguir, nas vizinhanças do local da coleta, a mistura deve ser fervida por um período de 10 min para as flores mais tenras, até 30 min para flores de textura mais grossa.

Método lunar: no caso das lunares, que se abrem durante a noite, as flores devem ficar expostas à noite, sob lua plena, em  um vasilhame de vidro ou panela esmaltada contendo água, debaixo ou nas proximidades da planta.

Equipe de Redação 05-02-2013 Plantas Medicinais

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.