Saiba como produzir óleos essenciais

Óleos essenciais exalam aromas agradáveis e intensos, que podem provocar diferentes efeitos no organismo humano

Produção de óleos essenciais

Não é de hoje que se conhece a capacidade dos óleos essenciais de promover efeitos fisiológicos, psicológicos e energéticos no ser humano, o que torna esse produto tão valorizado no mercado nacional e, também, em muitos outros países.

Seja em folhas, frutos, sementes ou raízes, são muitas as espécies de plantas que têm, armazenados em seus tecidos, líquidos de aparência oleosa e que são de composição bastante complexa. Substâncias essas que se apresentam muito voláteis, exalando, geralmente, um aroma agradável e intenso e que pode estar associado a todo tipo de efeito no organismo humano. Essas características aromáticas e de volatilidade acabaram determinando a utilização de diversas denominações para essas substâncias, como óleos voláteis, óleos etéreos, e principalmente, óleos essenciais.

As características físico-químicas, típicas desse tipo de óleo, decorrem da presença de mais de 100 constituintes químicos diferentes que, em comum, contêm carbono, oxigênio e hidrogênio e, ocasionalmente, nitrogênio e enxofre, elementos que, combinados de diferentes formas e proporções, são responsáveis por parte do sabor e odor das plantas. E, também, pelos efeitos terapêuticos que esses óleos podem oferecer ao ser humano.

Entretanto, é preciso diferenciar os óleos essenciais de outros tipos de óleos, como por exemplo, os óleos carreadores, que são extraídos a partir da prensagem de sementes de diversas plantas. Esses óleos não apresentam as mesmas características. Eles são usados como veículos para os óleos essenciais, quando empregados em massagens, para facilitar a absorção pela pele e o próprio ato de massagear, funcionando como lubrificante.

No curso “Produção de Óleos Essenciais”, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, são apresentados equipamentos e técnicas de produção para pequenas e médias destilarias. A coordenação técnica deste trabalho ficou a cargo do professor Antônio Lelis Pinheiro, mestre e doutor em silvicultura do departamento de engenharia florestal da UFV – Universidade Federal de Viçosa.

http://www.youtube.com/watch?v=5V3CAOETLG0

Marconi Vieira 07-04-2010 Biodiesel

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.