Como produzir rainhas e multiplicar enxames

Apicultores brasileiros utilizam técnicas oriundas de países de clima temperado

Produção de rainhas e multiplicação de enxames

A reprodução de uma rainha oferece ao apicultor uma oportunidade singularmente favorável para influenciar o futuro comportamento e desempenho produtivo da colônia de abelhas. Por essa razão, há séculos vêm sendo desenvolvidos e praticados métodos destinados ao controle da produção de rainhas, número de rainhas fecundadas, épocas e características das crias produzidas.

Os métodos de desenvolvimento das rainhas tiveram origem nos países de longa tradição apícola da Europa, porém, sua evolução tecnológica prosseguiu nos novos territórios para onde o colonizador europeu levou suas abelhas, principalmente os Estados Unidos, dando origem a uma importante indústria altamente especializada.

Atualmente, a criação de rainhas é um segmento básico da indústria apícola em todas as nações detentoras de apicultura tecnologicamente evoluída. No Brasil, essa especialidade ainda não está devidamente integrada ao manejo profissional dos apiários. O clima ameno e a facilidade de renovação dos apiários, a partir de colônias selvagens, obtidas diretamente da natureza, podem ser apontados como justificativa.

Contudo, uma observação mais atenta nos mostrará que, em geral, os apicultores que criam rainhas o fazem com intuito de obterem as de raças europeias e, o mais importante, utilizando as técnicas descritas em obras advindas de países de clima temperado. Assim, tanto o seu objetivo como o resultado quantitativo que obtêm são limitados, tendo pouca influência sobre a produção apícola nacional.

Por outro lado, um grande acervo de trabalhos orientados para as peculiaridades fisiológicas e comportamentais das abelhas africanizadas já foram publicados e conduzem a adaptação ou criação de técnicas de produção das mesmas, que dominam todo o nosso território.

O curso "Produção de Rainhas e Multiplicação de Enxames", elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas, apresenta duas técnicas indispensáveis para produzir mel em alta escala: a multiplicação de enxames e a produção de abelhas rainhas. A coordenação técnica deste trabalho ficou a cargo da Dra. Etelvina Conceição Almeida da Silva, professora da UESC - Universidade Estadual de Santa Catarina, e do professor Paulo Sérgio Cavalcanti Costa, da UESB - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

http://www.youtube.com/watch?v=QtpBm-r8XgU

Marconi Vieira 31-03-2010

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.