Como cultivar camarões marinhos

Produção nacional de camarões é insuficiente para atender à demanda interna e externa do mercado

Criação de camarões marinhos

A pessoa que pratica a carcinicultura, ou seja, o cultivo de crustáceos (camarões, siris, lagostas e caranguejos), é chamada de carcinicultor. No Brasil, dentre esses crustáceos, o cultivo do camarão marinho é a atividade que se encontra em franca expansão, pois se trata de um produto com mercado garantido e que, por isso, oferece bons lucros.

A produção mundial de camarões em cultivo, embora apresente valores ainda bastante inferiores aos do setor de pesca extrativista, vem, ao longo do tempo, apresentando taxas de produção cada vez maiores.

Entre as espécies cultivadas, as Farfantepenaeus chinenis, Penaeus monodon e Litopenaeus vannamei são as mais apropriadas para essa atividade, sendo que, juntas, são responsáveis por 80% da produção mundial de camarões provenientes de criatórios.

Mesmo com todo esse crescimento, a produção de camarão ainda não é suficiente para atender, de maneira satisfatória, à demanda interna e externa do mercado consumidor, fazendo com que o camarão, que já é um produto considerado nobre, tenha mercado garantido e obtenha preços atrativos para os produtores, contribuindo, significativamente, para a contínua expansão da carcinicultura em nosso país.

O curso "Cultivo de Camarões Marinhos", desenvolvido pelo CPT - Centro de Produções Técnicas, apresenta os segredos desse mercado. A coordenação técnica do trabalho ficou a cargo do professor Antônio Ostrensky Neto, oceanógrafo, membro do Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais da Universidade Federal do Paraná e, também, do professor Roberto Carlos Barbieri Junior, biólogo marinho, dois dos maiores especialistas em camarões marinhos do Brasil.

http://www.youtube.com/watch?v=jclVGre7qPU

Marconi Vieira 08-04-2010

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.