Ótimos peixes para criar em cativeiro

Ótimos peixes para criar em cativeiro. Robalo, Piau, Dourado, Pirarucu e Matrinxã estão entre os principais peixes.

Robalo, Piau, Dourado, Pirarucu e Matrinxã estão entre os principais peixes para criação em cativeiro

Ótimos peixes para criar em cativeiro

Segundo José Eduardo Aracena Rasguido, professor do Curso a Distância CPT Criação de Peixes, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online, graças a novas pesquisas e técnicas de criação de peixes desenvolvidas no Brasil, o piscicultor pode tornar a produção mais eficiente e muito lucrativa. Há peixes altamente produtivos - recomendados por estudiosos para criação em cativeiro. Robalo, Piau, Dourado, Pirarucu e Matrinxã estão entre os principais. Que tal conhecer um pouco mais sobre cada um desses peixes?

Robalo

O Robalo apresenta grande potencial para criação em cativeiro, pois inúmeras técnicas de reprodução, larvicultura e engorda foram aprimoradas nos últimos anos. Na criação comercial de peixes, o Robalo pode ser manejado em açudes, represas ou tanques escavados na propriedade. Mas é recomendado que a reprodução dos peixes seja feita criteriosamente por especialistas, pois o processo é complexo - com indução de hormônios. Somente após a segunda dose fornecida às fêmeas é que os machos recebem o hormônio.

Piau

A criação de Piau tem inúmeras finalidades - produção de carne, ornamentação e distribuição para pesque-pagues.  Com crescimento rápido - de 12 a 18 meses, e carne saborosa, esse peixe possui grande demanda no mercado. Portanto, é uma ótima opção de negócio para o piscicultor que busca rápido retorno. A espécie é onívora - alimenta-se de frutas, sementes, crustáceos, insetos e outros peixes. Quando em cativeiro, recomenda-se o fornecimento de ração balanceada para que o peixe alcance o peso ideal em pouco tempo. Do mesmo modo que o Robalo, o Piau necessita de indução hormonal para se reproduzir em cativeiro.

Dourado

O Dourado atinge ganho de peso em pouco tempo, sendo de fácil manejo em cativeiro. Sua carne é muito aceita no mercado nacional, pois é tenra e deliciosa. Portanto, criar dourado pode ser uma excelente oportunidade para ganhar dinheiro, pois o peixe possui alto valor comercial. Embora aceite bem dietas com ração, esse peixe é carnívoro - o que exige uma boa carga de proteínas para que cresça vigoroso. Por isso, muitos piscicultores criam Dourado em consórcio com outras espécies de peixe - o Lambari é uma excelente opção, pois se reproduz rapidamente. Para reprodução em cativeiro, também é necessário induzir a ovulação das fêmeas e a liberação de esperma dos machos por meio de hormônios.

Pirarucu

O Pirarucu é considerado um dos maiores peixes de água doce - com peso de até 200 quilos e comprimento de até 2 metros. Com carne muito saborosa, este é um peixe de excepcional valor comercial - o que aumenta as chances de o piscicultor faturar com a sua criação em cativeiro. Sua dieta pode ser realizada de duas formas: alimentação natural - Lambaris e Tilápias (é necessário separar os juvenis dos pais quando alcançarem 40 gramas); ou arraçoamento - na fase inicial, é fornecida ração por seis dias, em seis refeições por dia (os juvenis devem ser transferidos para outro tanque quando atingirem dois gramas). A segunda opção de alimentação é a mais recomendada.

Matrinxã

O Matrinxã é uma espécie muito consumida no Amazonas, mas graças às modernas técnicas de cultivo em cativeiro, ele passou a ser comercializado nas demais regiões do país. Com corpo coberto por escamas, cor prateada e corpo alongado, o Matrinxã pode alcançar facilmente cinco quilos de peso e atingir até 80 centímetros. Ele come frutas, sementes, insetos e peixes pequenos, pois é onívoro. Mas pode receber uma dieta rica, com ração peletizada para peixes carnívoros. Para se reproduzir em cativeiro, também necessita de indução hormonal realizada por especialista.

Fonte: Revista Globo Rural.

Andréa Oliveira 21-09-2016 Piscicultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.