Como alimentar o potro órfão

Como alimentar o potro órfão. O colostro é um alimento vital para o potro que acabou de nascer, pois contém anticorpos que fortalecem seu sistema imunológico.

O colostro é um alimento vital para o potro que acabou de nascer, pois contém anticorpos que fortalecem seu sistema imunológico

 Como alimentar o potro órfão

Assim que o potro nasce, o animal requer alguns cuidados essenciais para que se desenvolva forte e saudável. Especialmente, as 18 primeiras horas após o nascimento são cruciais para a plena saúde do pequeno equino. Quando o parto da égua ocorre de forma tranquila e natural, assim que nasce, o potro é limpo pela mãe. Minutos após, o animal se levanta e é amamentado pela égua com o primeiro leite - colostro.

O colostro é um alimento vital para o potro que acabou de nascer, pois contém anticorpos que fortalecem o seu sistema imunológico. Até a 18ª hora do nascimento, o potro possui aparelho digestivo permeável à absorção desses anticorpos. Daí a importância da amamentação do potro nos meses iniciais de vida. Infelizmente, muitos partos não vão bem e os potros órfãos ficam à mercê do destino caso medidas não sejam tomadas.  

Mas como alimentar o potro órfão - ainda na fase de amamentação?

O criador deve fornecer ao potro o colostro de outra égua. É importante ressaltar que as éguas que pariram com saúde possuem colostro suficiente para sua prole e para os órfãos recém-nascidos. Ele pode ser congelado e reaquecido no momento de fornecê-lo ao pequeno equino.  Caso esse alimento não esteja disponível na propriedade, o criador deve buscá-lo em haras onde houver banco de colostro - caso contrário a vida do potro estará em jogo.

Os cuidados com alimentação do potro continuam com o desmame. A dieta do animal deve suprir as necessidades de desenvolvimento do potro. No primeiro mês, o ganho de peso médio ideal deve ser de 1500 a 1800 g/dia (animais de porte maior). No segundo mês, deve permanecer entre 1200 e 1300 g/dia. Já nos seis meses seguintes, em torno de 750 g/dia - para que o potro cresça saudável e vigoroso.

Portanto, dietas desiquilibradas e carentes de nutrientes podem causar sérios danos ao desenvolvimento do equino. Nos três primeiros meses de vida, o organismo do potro não consegue processar alimentos grosseiros, por isso o animal deve consumir apenas leite. Somente a partir do quarto mês de vida é que o animal começa a aceitar volumoso e ração concentrada.

Por isso, para potros de até três meses de vida, a alimentação deve ser láctea. Além dos bancos de colostro, muitos criadores utilizam amas de leite - éguas recém-paridas que aceitam o potro órfão. Em geral, o criador cobre o potro com urina, leite ou fluídos placentários da égua adotiva para que o órfão cheire como ela. Em geral, a ama de leite aceita o potro em 24 horas.

Outra boa alternativa são os sucedâneos do leite de égua - como o leite de vaca ou cabra. Para isso, o criador deve diluir duas partes do leite para uma parte de água mais 2% de dextrose. O animal pode ser alimentado tanto em mamadeira como em balde. A quantidade necessária é de 18 a 20 litros (raças leves) e 23 a 28 (raças pesadas). O aumento do volume de leite deve ser gradativo. Primeiramente, são fornecidos 14 litros ao nascimento. Depois, acrescenta-se ao volume 1 litro por semana até a quantidade necessária (20% do peso do potro em leite).

O fornecimento de leite ao potro órfão deve ser feito a cada 4 horas (dia e noite). Após as duas semanas do nascimento, pode-se dividir o total em duas partes (6 da manhã e 8 da noite) - até o início do quarto mês de vida (desmame).

Fonte: Gestão no Campo.

Conheça o Curso a Distância CPT Alimentação de Cavalos, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online - elaborado por Orlando Marcelo Vendramini, Mestre em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Minas Gerais e Doutor em Fisiopatologia da Reprodução Animal pela Universite de Rennes I, France.

Andréa Oliveira 05-10-2016 Cavalos

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.