Aprenda a fazer transferência de embriões e fertilização in vitro

Transferência de embriões e fertilização in vitro

O mercado de genética em gado de corte tem o rebanho estruturado na forma de uma pirâmide. Na base dessa pirâmide, estão os rebanhos comerciais, de cria, recria e engorda, onde está a maior parte dos bovinos de corte do Brasil. Esses se especializaram na produção comercial de animais, cujo manejo tem por objetivo final o abate dos produtos, para a produção de carne.

Já na porção mediana da pirâmide, existe um rebanho bem menos numeroso, que trabalha apenas com bovinos de raças puras, PO (Puros de Origem) e PC (Puros por Cruza). Esses são manejados com o objetivo de fornecer touros melhoradores para os rebanhos comerciais. São, portanto, multiplicadores, que disseminam genética de ponta.

No topo da pirâmide estão reunidos os chamados rebanhos de elite, onde são criados animais de maior valor, sejam machos ou fêmeas, sempre de raças puras. O objetivo dos criadores desses animais é selecionar, participando de programas de melhoramento genético, com o objetivo de produzir e comercializar sêmen, embriões e animais vivos.

Pode-se concluir que o objetivo final da cadeia de produção, em forma de pirâmide, é a busca incessante por bovinos cada vez mais adaptados às pastagens brasileiras, mais resistentes a parasitas internos e externos, que sejam precoces, com ótima conformação de carcaça e que produzam carne de qualidade. Com relação às fêmeas, espera-se também precocidade, fertilidade e grande habilidade materna.

Nos rebanhos multiplicadores ocorre um processo de seleção semelhante ao dos rebanhos de elite, mas o número de animais é bem maior. Esses criadores têm um grande número de fêmeas de alta qualidade, submetidas a uma forte pressão de seleção, as quais, geralmente, são acasaladas com os melhores touros do país, por meio de inseminação artificial. Nesses mesmos rebanhos, as melhores fêmeas são incorporadas, selecionadas por critérios específicos de fertilidade e tipo físico, permitindo alto índice de descarte no rebanho de matrizes. Já os tourinhos produzidos, por sua vez, são registrados e comercializados para criadores de gado comercial, por venda direta, leilões, em feiras e exposições agropecuárias.

A transferência de embriões é uma importante biotecnologia, que promove um aumento considerável no número de animais geneticamente superiores em menor tempo. O que mais se destaca na TE é a obtenção de animais de alto valor, podendo, assim, aumentar a renda das propriedades às quais se aplica a técnica.

Da mesma maneira, a fecundação in vitro tem as mesmas características, mas com uma vantagem que é o poder de multiplicação ainda maior. Utilizar os produtos da TE e da FIV, e mesmo dominar e usar a técnica no melhoramento genético, é fundamental para a pecuária de corte brasileira.

O curso “Transferência de Embriões e Fertilização in Vitro”, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, revela técnicas capazes de colaborar muito para a multiplicação do rebanho geneticamente superior, facilitando sua disseminação. A coordenação técnica do curso ficou a cargo do médico veterinário José Olavo Mendes Júnior, mestre em reprodução animal, coordenador dessa área no Hospital Veterinário Universitário - FAZU/UNIUBE/ABCZ.

http://www.youtube.com/watch?v=n20KGABcNrE

Marconi Vieira 15-04-2010 Pecuária de Corte

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.