Reaproveitamento da pele de rã

Outras práticas que podem ser desenvolvidas por meio da criação de rãs

Com a ação de alguns pesquisadores, técnicos e ranicultores, a tecnologia de criação de rãs no Brasil tem se desenvolvido rapidamente na última década. O abate e o processamento é realizado dentro das melhores condições higiênico-sanitárias, atendendo às normas internacionais de processamento animal, até chegar à mesa do consumidor.

O mercado da carne, o principal produto das rãs, tem aumentado a cada ano, na medida em que se conquista novos consumidores. Vários investimentos de porte estão sendo realizados no Brasil. Os ranicultores estão mais confiantes no futuro da ranicultura que pouco a pouco vem se consolidando em nosso país.

Outra prática que pode ser desenvolvida por meio da criação de rãs, é a utilização da pele de rã para fins tanto de saúde como de comércio. Confira abaixo algumas das utilizações dessa matéria prima.

Mantas de couro de rã

Essa manta é confeccionada com couro de rã ou couro de peixe. São feitas por meio da junção das unidades desta matéria-prima, e são soldadas entre si; facilitando assim a confecção de produtos para o setor coureiro. Essa nova ideia desenvolve um comércio que antes era restrito apenas à produção de couro de bovinos e caprinos.

Tecido Regenerativo

Há alguns anos, médicos começaram a testar e usar a pele de rã como curativo biológico para queimaduras. Ou seja, um tipo de curativo que dá sustentação à pele queimada, além de evitar a perda de líquido e de proteínas.

O curativo é usado como pele substituta até que a pele do paciente se recupere e possa ser usada para recompor os tecidos destruídos pelas queimaduras. Médicos começaram a usar a pele em pacientes com queimaduras de 3º grau e que tem até 70% do corpo queimado e em pessoas sem proteções próprias contra infecções e com poucas chances de sobrevivência.

No Curso Criação de Rãs - Sistema Anfigranja, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas, você encontrará outras formas de reaproveitamento da pele de rã. Confira!

Equipe de Redação 06-09-2011

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.