Saiba mais sobre alimentação artificial das abelhas

Saiba mais sobre alimentação artificial das abelhas. Além de néctar e pólen, é possível fornecer às abelhas alimentação artificial, como xarope e candi.

Além de néctar e pólen, é possível fornecer às abelhas alimentação artificial, como xarope e candi

Saiba mais sobre alimentação artificial das abelhas

Segundo Paulo Sérgio Cavalcanti Costa, professor do Curso a Distância CPT Manejo do Apiário - Mais Mel com Qualidade, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online, para ocupar o mercado de mel e alcançar o sucesso, o apicultor precisa de uma boa infraestrutura, além de aplicar as melhores técnicas de manejo alimentar no apiário. Além de néctar e pólen, é possível fornecer às abelhas alimentos artificiais, como xarope, candi e outros.

O ideal é implantar o apiário em uma região com flora rica e água em abundância para que as abelhas tenham uma alimentação farta. Entretanto, quando a alimentação natural está em falta, é imprescindível garantir às abelhas nutrientes necessários ao seu bom desenvolvimento e vitalidade. Nesse caso, entra a alimentação artificial, preparada com açúcar cristal e água, ou mel e açúcar.

Dessa forma, o apicultor irá garantir, mesmo no inverno, a manutenção do índice esperado de construção de células, além de estímulo à postura da rainha e ao desenvolvimento das crias. Caso contrário, a escassez de alimento natural ou o não fornecimento de alimentação artificial resultam na redução nos enxames e até mesmo rejeição ou fuga das abelhas da colmeia.

Como fornecer candi às abelhas?

O alimento artificial conhecido como candi é preparado com mel e açúcar cristal na proporção 2:1. Trata-se de um alimento energético. A mistura deve ser levada ao fogo brando até alcançar a consistência de uma pasta cremosa. Quando a pasta esfriar, esta deve ser colocada na região dos potes da colônia. Todo o processo deve seguir os parâmetros de higiene e manejo adequados para não ocorrer contaminação do alimento.

Um bom exemplo de alimentação proteica é a farinha de soja. Mas também pode ser fornecido às abelhas pólen de Apis triturado no liquidificador -colocado, no mínimo, em 1/3 dos potes vazios da espécie, ou ainda em potes elaborados com cera de Apis.

Como fornecer xarope às abelhas?

Elaborado com açúcar cristal e água fervida, o xarope pode apresentar diversas concentrações - depende da espécie de abelha a ser alimentada. Antes, deve ser feito o teste do tipo de concentração adequado ao tipo de abelha. Este é feito da seguinte forma: preparo de amostras com concentrações de açúcar a 50%, 60%, 70% e 80%. Em seguida, cada amostra de xarope é colocada em um alimentador.

Os quatro alimentadores devem ser colocados no interior da colmeia (melgueira). Após 30 minutos, basta observar o xarope mais consumido - este deverá ser fornecido às abelhas. O alimentador pode ser elaborado com mangueira transparente vedada nas duas extremidades com algodão de paina (Chorisia speciosa). Será no algodão que o xarope deverá ser embebido.

Alimentação energética (xarope de açúcar invertido)

->5 kg de açúcar;
->2 litros de água;
->5 g de ácido cítrico.

Ferva o açúcar e a água. Assim que levantar fervura, adicione o ácido cítrico. Deixe ferver por mais 3 minutos até engrossar. Após esfriar, fornecer às abelhas na proporção: 1 parte de xarope para 1 parte de água.

Alimentação energética e proteica (pasta cremosa)

->5 kg de açúcar;
->1 kg de farinha de soja;
->4 kg de xarope de açúcar invertido.

Misture todos os ingredientes e forneça às abelhas da seguinte forma: por meio de alimentadores de cobertura ou distribuído nos quadros da melgueira.

Fonte: Meliponário Pivoto.

Salvar

Andréa Oliveira 11-05-2017 Apicultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.