O que considerar na criação de camarão-da-Malásia?

O camarão-da-Malásia é a espécie mais recomendada de camarão de água doce para criação em cativeiro

O que considerar na criação de camarão-da-Malásia?

Segundo Wagner Cotroni Valenti, professor do Curso CPT Cultivo de Camarão de Água Doce, o camarão-da-Malásia (Macrobrachium rosenbergii) é a espécie mais recomendada de camarão de água doce para criação em cativeiro. Com cinco a seis meses de vida, ele alcança de 25 a 30 gramas, peso ideal para a comercialização. Além disso, seu sabor é mais suave quando comparado ao do camarão de água salgada. Entretanto, para o sucesso da criação, alguns fatores devem ser considerados.

Aquisição das pós-larvas


Para iniciar a criação, os camarões devem ser adquiridos na fase pós-larva, com cerca de um centímetro de comprimento. Nessa fase, eles já estão prontos para criação em tanques de recria. Existem piscicultores especializados em larvicultura, que produzem camarões nessa fase. Trata-se de um processo complexo, que requer alto investimento. Por isso, o melhor a fazer é comprar os espécimes desses produtores.

Condições ambientais


Os camarões-da-Malásia são sensíveis a temperaturas abaixo de 15°C. Por esse motivo, as temperaturas dos tanques devem permanecer entre 28 e 30°C. Além disso, a água deve ser de boa qualidade, com transparência de 20 a 40 centímetros, dureza de 20 a 150 miligramas por litro e pH entre 7 e 9. Já a declividade do terreno deve ser de 5% no máximo.

Alimentação


Os camarões-da-Malásia são onívoros, ou seja, alimentam-se de vegetais e de animais. Além disso, os camarões se alimentam de pequenos crustáceos, pequenos moluscos, além de larvas de insetos aquáticos. Entretanto, na criação comercial em cativeiro, é importante fornecer rações extrusadas ou peletizadas de alta densidade para que afundem. Isso facilita a alimentação dos camarões que preferem ficar no fundo dos viveiros.

Tamanho dos tanques e densidade


Os viveiros de criação devem ser escavados em solo argiloso, com área entre 250 e 5.000 metros quadrados e profundidade de 90 centímetros a 1,3 metro. Já a densidade de estocagem do camarão-da-Malásia não pode ser elevada para não ocorrer canibalismo. Enquanto no monocultivo, devem haver 8 a 12 pós-larvas por metro quadrado, no policultivo, devem haver 3 e 6 pós-larvas por metro quadrado.

Produção e despesca


No quarto mês após o povoamento, pode ser realizada a despesca seletiva dos camarões. Mas quando chegar aos seis meses, a despesca deve ser total. Após as despesca, é feita a lavagem dos camarões em solução de cloro diluída em 5 miligramas por litro de água limpa. Também deve ser feita a imersão dos camarões em água gelada. Eles podem permanecer sob temperatura de 0°C, por até três dias, e -20°C por até seis meses.

Conheça os Cursos CPT da Área Piscicultura:

Cultivo de Camarão de Água Doce

Cultivo de Camarões Marinhos

Criação de Peixes - Como Implantar uma Piscicultura

Fonte: revistagloborural.globo.com

Por Andréa Oliveira

Andréa Oliveira 12-08-2021 Aves e Peixes

Faça já o Download Grátis

Download brinde Criação de Peixes em Viveiros Escavados

Basta preencher os campos abaixo para receber o material por e-mail:

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.