Broca-do-café: manejo integrado de pragas

Broca-do-café: manejo integrado de pragas. O manejo integrado da broca-do-café ajuda o cafeicultor na prevenção, no diagnóstico, na tomada de decisão e no controle da praga.

O manejo integrado da broca-do-café ajuda o cafeicultor na prevenção, no diagnóstico, na tomada de decisão e no controle da praga

Broca-do-café: manejo integrado de pragas

Existe um grande número de pragas que atacam o cafeeiro, como a Hypothenemus hampei, conhecida como broca-do-café. Segundo Júlio César de Souza e Paulo Rebelles Reis, professores do Curso a Distância CPT Pragas do Cafeeiro - Reconhecimento e Controle, em Livro+DVD e Online, da Área Cafeicultura, o primeiro passo para evitar o ataque à lavoura de café, é o conhecimento aprofundado sobre a praga. Trata-se de um pequeno besouro, que pode chegar a 1,7 mm de comprimento e 0,7 mm de largura.

A fêmea é responsável pelo ataque aos frutos

A broca causa a queda prematura dos frutos e as perdas no peso podem chegar a 20%. Não apenas isso, a qualidade dos grãos cai significativamente, porque o número de grãos de café brocados aumenta, o que deprecia o produto durante o processo de classificação. São as fêmeas que atacam a coroa dos frutos, onde depositam seus ovos. Estes eclodem e liberam larvas, que se alimentam dos frutos de café, o que danifica ou destrói por completo os grãos.

O método de controle ideal ocorre na colheita dos frutos

O método de controle ideal ocorre na colheita dos frutos, pois evita que o ciclo de vida da broca-do-café se complete. É importante ressaltar que as condições ambientais influenciam no ataque da praga, como precipitação pluviométrica volumosa no inverno, cultivos adensados, pouca ventilação e baixa incidência de luz na lavoura. Por tais motivos, o manejo integrado é a melhor medida para o controle da praga.

O MIP ajuda o cafeicultor na prevenção da praga

O MIP - Manejo Integrado de Pragas, ajuda o cafeicultor na prevenção da praga, no diagnóstico da lavoura, na tomada de decisão e no controle da broca-do-café. Durante a colheita, os frutos do cafeeiro devem ser completamente retirados, inclusive os que caem no chão. No caso de colheita mecânica, é muito importante o repasse manual para reduzir as chances de incidência da praga até a próxima safra.

O monitoramento deve ocorrer no período de trânsito da praga

O monitoramento deve ocorrer no período de trânsito da praga - 80 a 90 dias após a floração, uma vez por mês. Mas quando a infestação é severa, a inspeção da lavoura de café deve ser realizada a cada 15 dias. O processo é realizado da seguinte forma: contagem dos frutos, em uma área de 20 pés de café por hectare, em ziguezague. É importante que a amostragem seja a mais representativa possível.

A colheita deve ser realizada nas quatro faces do terço médio da planta

Para a avaliação, devem ser colhidos 100 frutos em cada cafeeiro. A colheita do café deve ser realizada nas quatro faces do terço médio da planta. Após o monitoramento, é realizada a identificação do nível de controle Este deve ser realizado se o nível dos grãos de café brocados ultrapassar 3%. Em caso de controle químico, o cafeicultor deve seguir criteriosamente as medidas recomendadas por engenheiro agrônomo.

No controle químico, o cafeicultor deve tomar alguns cuidados

Para isso, o produtor de café deve tomar os devidos cuidados: usar EPI - Equipamento de Proteção Individual, somente usar produtos registrados no MAPA, fazer rotação de princípios ativos, respeitar a dose recomendada e o período de carência e as normas de armazenagem e descarte de embalagens. Na verdade, para garantir maior eficiência no controle da praga, deve ser feita a integração de vários métodos de controle. Daí o nome manejo integrado de pragas.

O manejo integrado de pragas garante maior sustentabilidade à produção de café

Além do controle químico, devem ser realizados o controle comportamental - com o uso de armadilhas, o controle biológico - com o inimigo natural da broca-do-café, conhecido como Beauveria bassiana, e o controle cultural - com a alteração do ambiente de cultivo. Com isso, o MIP não apenas reduz os custos do produtor como também preserva o meio ambiente. Ou seja, o manejo integrado de pragas garante maior sustentabilidade à produção de café.

Fonte: Canal Rural.

Confira o artigo "Recomendações para uma boa colheita de café" e aprimore ainda mais o seu conhecimento.

<script type="text/javascript">
    var cptAdvAfCod = 628;
    var cptCorLink = "333";
    var cptCorFundo = "f7f7f7";
    var cptAdvCod = 4385;
    var cptAdvModel = 4;
</script>
<script type="text/javascript" src="https://www.cpt.com.br/afiliados/load_cptaf.js"></script>

Andréa Oliveira 13-12-2017 Cafeicultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.